13 de novembro de 2007

19 - SINÔNIMO, ANTÔNIMO

As pessoas têm uma dificuldade enorme em aceitar que são 100% responsáveis por tudo que acontece com elas. Quando falo sobre responsabilidade, as pessoas se prendem a acidentes, injustiças, sofrimentos, criancinhas doentes..., enfim têm medo de serem culpados por alguma coisa grave ou desagradável que aconteceu.

Claro, ninguém vai admitir que tem culpa em algo ruim que acontece e tá certo, você sabe porque? Porque culpa NÃO existe, ela não é uma criação de Deus, é uma invenção dos homens sob a capa de religiões e instituições interessadas em controlar e vigiar para instituir e manter o poder.

Culpar alguém ou você mesmo é uma violência, mas os que a praticaram ao longo dos séculos de domínio sobre a população conseguiu. Nos sentimos culpados por quase tudo que fazemos e o peso da culpa é tão devastador que chega a comer nossa alma viva, a influenciar nossa postura corporal.

Eu consigo ver algumas coisinhas positivas em sentimentos ‘baixos’ como o medo. O medo pode ser positivo quando se manifesta como instrumento de defesa contra coisas e pessoas que ameaçam a preservação da nossa vida ou nosso instinto de sobrevivência.

Mas sabe, não vejo nada de positivo em culpa e porque sabemos, consciente ou inconscientemente o quanto é horrível, toda vez que corremos o risco de sermos acusados de alguma culpa, tentamos desesperadamente achar um outro culpado para diminuir o peso sobre nós.

Então, de quem é a culpa quando criancinhas morrem queimadas? Onde ou quando acharemos uma explicação satisfatória? No criacionismo, nos pobres coitados do Adão e Eva? Bom, PARA MIM essa é uma perspectiva muito pobre, pois o pagamento costuma ser demais para uns e 'demenos' para outros. No carma pessoal? Bom, PARA MIM essa é uma perspectiva muito rica, afinal se formos por esse caminho, acharemos resposta para absolutamente tudo, ora!

Para falar a verdade, quando me perguntam, eu imito o Joe Buscaglia e respondo: ‘sei lá’.
Ainda hoje, século 21, e muita gente boa já ter passado por aqui (Buda, Babaji, Jesus, Krishna, Eu, Você), continuamos sem respostas, né?

E se não acredito em culpa, porque estou escrevendo sobre ela aqui? Para você entender de uma vez por todas, pare de procurar, não vai achar, ocupe seu tempo com outras coisas, culpa NÃO EXISTE. Agora, não adiantaria nada se apenas mudássemos a palavra culpa pela palavra responsabilidade e atribuir à responsabilidade os significados e os sentimentos relacionados à culpa.

Você vai entender a diferença entre culpa e responsabilidade quando assimilar que o nosso ser superior, alma, espírito ou outro nome, não vem para a forma física empurrado ou obrigado. Os que estão aqui querem estar aqui. Escolheram se desenvolver e aprender mais, viver mais experiências que julgam necessárias para a espiritualidade e iluminação. As que não estão aqui, preferiram algum serviço de escritório lá, viram que a aventura não é para eles.

Cada vida aqui é um passo para frente e não para trás, então quem vai saber? Quem vai julgar, teorizar ou tentar entender as experiências de OUTRA PESSOA? Aquele acontecimento trágico foi atração dela, foi necessário para ela, responsabilidade dela – lembrando-nos que nós não somos o corpo com uma alma, mas uma alma que no momento está usando esse corpo para viver as experiências.

Lembre-se também que a expansão da consciência fará com que você viva esse aprendizado com mais alegria, confiança e com menos críticas dirigidas ao que acontece no mundo e no universo. Não estamos aqui para consertar nada, o universo NÃO ESTÁ COM DEFEITO.

Conclusão, se a criança morreu doente, quem sabe? quem sabe o que a alma dela está tramando? Só ela mesma, assim como você não tem que saber o que o meu espírito vai aprontar na próxima e eu não sei que aventuras estaremos vivendo juntos. Espero que ele decida que tenha que voltar como a Oprah.

Esquece, cuide de seu crescimento, pois só você pode fazer isso. Deseje o bem, reze para o seu Deus e anjo da guarda, jogue bondade na rede do universo que nos une, mas não tente entender porque cargas d’água Joana D’arc morreu queimada!

Seja!!!

Cristtina Lopes

2 comentários:

Anônimo disse...

Cristina, escreva para nós sobre essa tendência do ser humano em se comparar sempre.
Sobre o imperativo da midia que influencia o que você tem que ser e ter...

Cristina Lopes disse...

Ok, escrevo breve. Abraço